quinta-feira, 29 de março de 2012

Reflexões sobre a alocação de ativos numa carteira de investimentos *na prática*

http://www.valoresreais.com/2010/06/22/reflexoes-sobre-a-alocacao-de-ativos-numa-carteira-de-investimentos-na-pratica/

Fico pensando no impacto dos projetos de curto e médio prazo tem sobre a obtenção da independência financeira (longo prazo)...

Qual tem prioridade? Se a prioridade for a independência financeira, alguns projetos de curto e médio prazo poderão ser afetados. Ou vice-versa. Difícil ter diversos projetos e orçamentos "apertados".
Infelizmente alguns terão que ser sacrificados.

Outra questão são os projetos/etapas da vida que teoricamente a maioria irá ter ou passar. Que são por exemplo, casamento, nascimento de filhos etc. Temos que estar com o orçamento preparado para eles. Passei por isso agora. Tive que tirar uma parte do dinheiro que estava investido no tesouro direto para o casamento. Percebo que há muitos blogueiros que são jovens e não estão se alocando parte de seu capital adequadamente em renda fixa para estes projetos incanceláveis. Ou seja, talvez o aporte para o longo prazo em renda variável infelizmente deva ser bem menor do que eu e e outras pessoas estão reservando atualmente.

14 comentários:

  1. Como tudo na vida, planejar, geralmente, traz prioridades e prioridades trazem cortes, não tem jeito.

    Estou seguindo seu blog, se puder segue o meu também e aparece lá pra contribuir.

    Abração.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com voce eu tive de adiar muito dos meus sonhos mas agora estou começando a realizar-los em dobro...um abraço, companheiro de batalha, ja te adicionei...me adicione também.

    ResponderExcluir
  3. Oooobaa, apareci no blog do ID! Mããããeeeee, apareci no blog do ID!!! =D

    Sobre o post: de fato, com planejamento financeiro, não é possível ter tudo o que queremos, mas é possível ter qualquer coisa que queremos.

    Na balança da vida, alguns projetos terão que ser sacrificados. Mas quais? Para mim, são aqueles sobre os quais pesará a menor perda (emocional, “realizacional” etc.), pelo fato de não serem realizados. P.ex., entre estudar inglês e italiano, o que sacrificar, na impossibilidade de fazer os dois? P/ uns, sacrificar o curso de italiano. Mas para outros, bem pode ser o inglês: basta pensar no sujeito que pretenda se transferir para trabalhar na Itália. Cada caso é, definitivamente, um caso.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahauahau até parece viu, Guilherme!rs
      Com certeza, ainda irei fazer referência a muitos posts seus!

      Concordo com vc na questão dos projetos a serem sacrificados. A questão é priorizar mesmo.

      Outra questão são os projetos/etapas da vida que teoricamente a maioria irá ter ou passar. Que são por exemplo, casamento, nascimento de filhos etc. Temos que estar com o orçamento preparado para eles. Passei por isso agora. Tive que tirar uma parte do dinheiro que estava investido no tesouro direto para o casamento. Percebo que há muitos blogueiros que são jovens e não estão se alocando parte de seu capital adequadamente em renda fixa para estes projetos incanceláveis. Ou seja, talvez o aporte para o longo prazo em renda variável infelizmente deva ser bem menor do que eu e e outras pessoas estão reservando atualmente.
      (Vou até atualizar o post com essa parte deste comentário meu).

      Valeu pela visita e abs!

      Excluir
  4. Cara,não existe receita de bolo no mercado financeiro.E vc que vai definir sua estratêgia de acordo com sua realidade.
    Tem gente que ganha a vida vendendo livros de finanças que na realidade so servem pra eles ganharem dinheiro.
    Todo erro é um aprendizado mas em finanças temos que errar o menos possivél.E estratêgia não se muda toda vez que se vai no banheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sandman!
      Concordo totalmente com vc! Não há uma estratégia perfeita, que atenda todo mundo. Depende muito das suas variáveis pessoais. Cada um está em uma etapa da vida, tem um estilo de vida, capital acumulado, situações que estão passando etc.
      O problema de alguns livros de finanças é isso. As vezes a estratégia nunca vai servir para vc. E realmente, como vc falou, muitos livros foram criados apenas para ser mais uma fonte de renda para o autor.
      E muitos não citam a importância de um grande aporte, melhorar a renda mensal, ter várias rendas etc...

      Tb acho que não se muda a todo momento. Acho que deve-se mudar quando está bem inadequada ou por alguma virada que acontece na vida.

      Precisamos é aprender é estudar como funciona cada tipo de "ferramenta" (tesouro direto,cdb,imóveis,ações defensivas, de crescimento,FIIs) e utilizar cada uma delas de acordo com a situação e estratégia definida.

      abs!

      Excluir
  5. Vou so citar dois mitos que são muito difundidos pelos chamados "gurus".
    Primeiro a tal regrinha dos oitenta em que vc diminui sua idade para fazer a alocação. Cara,isso é a maior bobagem não serve pra nada, pois mais importante do que sua idade e o cenário macroeconomico global.
    O outro mito e que se vc economizar o cafezinho que vc bebe todo dia no futuro vc vai ter não sei quanto.
    Esses são so dois exemplos de grandes asneiras ditas por esses "gurus".
    Por isso acho fundamental a nossa troca de experiência através dos nossos erros e acertos.
    O problema é que os blogs de finanças estão se disvirtuado e tem muita gente que esta usando a ferramenta para extravasar suas frutrações.
    Penso em criar meu blog onde vou contar minha experiência desde qd comecei a investir em 2001.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa regrinha de idade...Sem comentários.
      Do café, já vi cara jogando 40 anos de investimento e tal... não dá! Vai atender a quem?
      Pois é. Tenho idéia do blog para acompanhar minha trajetória e usar como "caderno de estudos", referenciando artigos, posts e etc. De vez em quando dou uma reclamada...rs Mas de leve!rs
      Acho que vc deveria criar sim! Tenho certeza que tem muita coisa boa pra divulgar. Imagina se vc tivesse um blog desde 2001... Seria riquíssimo.
      Aguardo o link do seu blog! :-)

      Abs!

      Excluir
  6. ID, o problema é que a maioria das pessoas gostam de regras prontas, pensar dá trabalho.

    Vejo o planejamento financeiro de maneira macro e holística, considerando todas as etapas da vida.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você Jônatas!
      Que dá trabalho dá. Mas com certeza seremos recompensados por isso!

      abs!

      Excluir
    2. Como muitos disseram não há uma regra definida. Acho importante apenas tentar acumular o máximo que puder durante alguns anos para depois os aportes se tornarem pouco significantes para a evolução do patrimônio. Assim, poderá atender as prioridades como filhos, escolas, transporte, etc.

      Abraço.

      Excluir