domingo, 4 de março de 2012

É viável comprar ações mesmo com os custos operacionais altos?


Estava pensando naquela "premissa" que muitos falam de só fazer o aporte em ações quando
os custos da operação (doc+taxa de corretagem + etc...) for menor ou igual a 1% em relação ao valor a ser comprado de ações.
Ou seja, se os custos da operação for 16 reais, o mínimo a ser comprado de ações seria R$ 1.600,00.

E também sobre a "premissa" de quando o valor for pequeno, investir em fundos de ações com baixa taxa de administração. Já fiz isto algumas vezes, comprando fundo PIBB via banco do brasil, onde sou correntista. Ou seja, comprava e não havia custo nenhum pela operação.

Mas estava analisando...Desde minha venda das SMALL11 em novembro/2011, se vocês analisarem a minha última atualização mensal, tiveram ações que subiram demais!
CMSG3 35,91%, SULA11 37,29%...

Ou seja. São conselhos que não são verdades absolutas. Poderia ter comprado poucas ações mês a mês, que mesmo a relação (custo da operação/valor de compra das ações) fosse alta, mesmo assim seria bem interessante.
Hoje, se for comprar estas ações, teria que pagar esses mais de 30% a mais. Se comprasse mensalmente, acredito que obteria um preço médio por ação bem interessante.

Estou pensando seriamente em aportar mês a mês, não importando tanto com os custos da operação, comprar fracionada. É claro que também não vou deixar a relação (custos da operação/valor de compra das ações) ser tão exorbitante. Mas serei mais flexível quanto a isso.

E também, o que acho que poderia ser interessante, é por exemplo, ter um leque de umas 5 ações que deseja comprar e quando for fazer a compra mensal, comprar a que teve a maior variação negativa nos últimos 30 dias. Com isso, teoricamente estaria comprando a mais barata, compensando um pouco os custos operacionais altos. Não sei se meu pensamento está correto...


O que acham sobre tudo isso? E também aceito sugestões para sobre como fazer uma melhor compra de ações mensalmente, mesmo com valores baixos e custos operacionais altos.


Assunto relacionado:
Alocando ativos em várias corretoras e pagando menos taxas.

22 comentários:

  1. ID,

    custo de até 5% do valor a investir eu não me importo. Geralmente compro ações para mantë-las por um bom tempo, enquanto forem viáveis.

    Também não procuro acertar fundos, caiu dinheiro na conta, compro no mesmo dia. O cuidado que você tem que ter é de observar se a ação está barata porque perdeu fundamentos ou o setor passa por dificuldades (veja o caso da Usiminas).

    O negócio é não complicar.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. G65,
      A minha idéia é de comprar e segurar.
      Achei interessante este limite de até 5%.
      Eu tb não pretendo acertar os fundos. Só um pequeno desconto pra mim já está bom.
      Ficarei esperto sobre esta questão das perdas de fundamentos. obrigado. abs.

      Excluir
  2. Eu faço dessa forma parecida com a última que você citou. Utilizo 5 papéis dentre os que considero melhores (análise fundamentalista + macroeconômica); a diferença fica por conta da "variação negativa nos últimos 30 dias": ao invés disso, analiso os papéis nas últimas 52 semanas... o valor mais alto, o mais baixo e o valor atual da ação; o papel que estiver com valor mais próximo da cotação mínima é o eleito. Abc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... a questão do período não sei mensurar qual seria ideal e ou se existe um ideal. 30 dias ou 52 semanas ou qualquer outro período...

      Excluir
  3. Grande ID

    Eu escolhi uma corretora onde vou pagar 0,99 por operação durante 2 anos e depois a corretagem será fixa em 2,90.

    Simples assim.

    abraço

    I40

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá I40!
      Vc deve estar falando da Mirae.Tenho conta no banif.
      Sua solução é ótima. Mas estou meio relutante de ter mais de uma conta... Gostaria de ter apenas 1 corretora. Acho mais simples, mas estou pagando preço por isso. Não sei até quando vou me manter em apenas uma.

      Dei uma googlezada rápida aqui e apareceu o post do Jonatas. Acho que pode ser interessante para mais pessoas que estão lendo este post.
      http://www.efetividade.blog.br/2011/07/21/alocando-seus-ativos-em-varias-corretoras-e-pagando-as-menores-taxas-possiveis/

      Excluir
  4. Isso pode funcionar por 2 ou 3 anos. O problema dessas estratégias é conseguir manter a rentabilidade por 20 anos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mark,
      De tentar comprar uma ação que está com um "desconto" em um determinado período?
      Não entendi direito. Mas qualquer estratégia em RV é dificil ser garantida por 20 anos...
      O que vou tentar fazer é comprar boas empresas.

      Excluir
  5. Cara, esse assunto já foi muito discutido e ainda é polemico, eu por exemplo só faço uma operação se os custos forem até 0,13%, fiz um calculo complicado até chegar nesse valor e levaria horas pra explicar, o fato que constatei é que seguindo este número como custo máximo a chances de sair no prejuizo de uma operação são bem menores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... Não sei como calculou 0,13%. Mas esse valor é bem baixo mesmo, a chance aumenta muito...Com certeza. Quanto menor este valor, melhor.

      Excluir
  6. Olá, defensivo!

    Tudo depende da estratégia do investidor. Se for um investidor de Longo Prazo (aparentemente, vc é um desses!), em 5 ou 10 anos o valor da corretagem pouco interferirá na rentabilidade da carteira. Por outro lado, para um investidor day-trader ou swing-trader, qualquer R$1,00 a mais de corretagem pode diminuir consideravelmente sua rentabilidade. Enfim, é um assunto que geraria horas de discussão. Não acredito que, necessariamente, seja uma boa opção comprar a ação que mais caiu no último mês, ano ou o que quer que seja, pois há que se informar a respeito do motivo de tal queda.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Sou de longo prazo mesmo.
      Quanto comprar a que caiu mais, não tenho embasamento científico quanto a isso. Só achômetro mesmo. Acho que é meio aleatório.
      Agora, saber o motivo da queda,por exemplo, porque caiu 3%, 4%... acho muito difícil de sabermos o real motivo. E as vezes, não foi nem um motivo racional... O mercado a curto prazo é muito instável.

      Excluir
  7. Acho importante relevar os custos, sempre, mas não utilizar isso como impedimento para uma compra. Vai depender do seu objetivo, tempo de investimento e claro, se a compra da ação vai compensar os custos a longo prazo.
    No meu caso, só relevo custos no curtissimo prazo, caso contrario não me preocupo muito, até o momento tem funcionado bem dessa forma
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá certo Ostra. Acho que vou tentar bustar um custo razoável para cada compra. E acho que posso passar um pouco desses 1% que citei no post.

      Excluir
  8. Eai ID,

    Esqueça o limite de 5% ou 1% o custo operacional vai ser insignificante ao longo dos anos pois quando as acoes pagarem seus dividendos ja estará apagando seu custo do papel, compre mes a mes o mes que der alta forte nao compre acoes compre tesouro ou poupanca quando cair compre acoes aumente seu portfolio diversifica é u melhor negocio, se uma empresa der um lucro rapido pra vc de 50% vende 1 lote e compre outra empresa com o dinheiro o seu risco vai diminuir cada vez mais é isto q eu venho fazendo todo mes e estou conseguindo ficar sempre acima da media do ibov q é minha referencia, vale a pena, abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Saimon,
      Bem interessante essa estratégia de vender uma parte quando for lucro alto e rápido. Seria uma parte pequena mesmo. Gostei!
      Quando puder, acho que irei utilizá-lo.

      Excluir
  9. Olá, eu não conhecia seu blog, muito interessante!

    Na minha opinião o importante é fazer compras regulares. Não precisa necessariamente ser mensal. Compras de valores baixos ficam muito custosas mesmo. Já pensou em fazer compras trimestrais, por exemplo? Percentualmente o impacto dos custos operacionais seria bem menor. No longo prazo não vai fazer diferença.
    Dessa maneira você poderia até comprar mais de uma ação a cada vez que fizer um aporte.

    Aproveito para convidar a conhecer o meu blog bastidoresdabolsa.blogspot.com

    Abraço,

    Arthur

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Arthur,
      Já pensei em trimestrais...Mas não queria ficar tanto tempo fora assim.

      Tb não conhecia seu blog! Achei bem bacana. Já gostei de um post seu aqui... vou até referenciá-lo.
      Esse aqui.
      http://bastidoresdabolsa.blogspot.com/2012/02/o-ibovespa-nao-e-bolsa.html

      Adicionei seu blog no minha lista.
      Abs!

      Excluir
  10. Assino embaixo o que o AVM citou, e digo mais compras bimestrais pra nao ficar tao fora do mercado seu custo vai la embaixo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí Saimon...
      Ah, vou tentar aportar no menor tempo possível, a um custo razoável.

      Excluir
  11. Eu só compro 3 vezes ao ano.
    Fevereiro, Julho e Dezembro.
    Fevereiro por causa do terço de férias, julho por causa da primeira parcela do 13º, e dezembro por causa da segunda parcela.
    Por enquanto só aplico esses valores na Bolsa. O resto fica na RF.
    Adoto uma estratégia de colocar no HB 7 ações, além do índice bovespa. Na data de compra, vejo a que está mais barata (pura e simples). Sem considerar fundamentos, visto que considero as 7 ações boas (baseadas em fundamentos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriano,
      Gostei muito dessa estratégia sua.
      Como todas as outras, temos que ter disciplina para cumpri-la.
      A primeira parcela do 13 eu costumo usar para pagar o seguro do meu carro. Coincidentemente, cai no mesmo mês da renovação...

      Excluir