domingo, 4 de janeiro de 2015

Viver de renda de aluguel ou de dividendos? (Versão 2015)

No início de 2013 eu fiz a postagem Viver de renda de aluguel ou de dividendos? onde as ações performaram muito melhor que os fundos imobiliários.
Hoje, por curiosidade, resolvi analisar o que iria acontecer com a carteira de ações no início de 2015. Resolvi compartilhar com vocês mais esta análise que não possui nenhum embasamento teórico. É apenas um experimento com meus dados reais.

Primeiro, segue abaixo, parte da antiga postagem em 2013:

"Segue o que ocorreu nos últimos 12 meses:

- Valorização da carteira: +16,15%
- Dividendos em 12 meses: +6,89%
- Média aluguel fundos imobiliários em 12 meses: +7,83%

Resultado:
Os aluguéis renderam 0,94% a mais que os dividendos nos 12 meses.

Ou seja. Se ao invés de "viver de aluguel" quisesse "viver de ações" nestes últimos 12 meses, teria que gastar todo o dividendo e ainda vender 0,94% do total de ações para igualar os ganhos que seriam gastos mensalmente.

Com isso, ainda sobraria 15,21% da valorização das ações."



Segue agora o que ocorreu nestes últimos 12 meses:

- Valorização da carteira: -0,8%
- Dividendos em 12 meses: +6,02%
- Média aluguel fundos imobiliários em 12 meses: +10,41%

Resultado:
Os aluguéis renderam 4,39% a mais que os dividendos nos 12 meses.

Ou seja. Se ao invés de "viver de aluguel" quisesse "viver de ações" nestes últimos 12 meses, teria que gastar todo o dividendo e ainda vender 5,19% do total de ações para igualar os ganhos dos aluguéis que seriam gastos mensalmente.

Notem que o resultado deste ano foi totalmente diferente que o de 2013. E desastroso, pois teria consumido parte do patrimônio.

Os detalhes estão nesta planilha, para quem interessar.

Apenas por curiosidade:
Se minha carteira estivesse perfeitamente balanceada com 5% em cada uma das 20 ações, ela teria gerado nos 12 últimos meses:
- Valorização da carteira: -2,40%
- Dividendos em 12 meses: +6,36%


Aproveitando, levanto a questão:
Seria razoável conseguir alcançar um dividendo anual médio de +6,0%, caso se pretenda viver de dividendos com uma carteira/fundo com mais de 10 ações? Note que 2 anos já estou conseguindo esta média de dividendo anual de +6%.
Se não é +6%, qual seria o dividendo anual médio possível de alcançado com uma certa "segurança"?

36 comentários:

  1. ID,
    Claro que 6% vai depender do perfil das empresas (crescimento x dividendos), mas me parece um bom parâmetro. Interessante a análise que fez e mais interessante ainda é que se a carteira tivesse a sua composição "ideal" teria tido performance inferior em rentabilidade, coisas da RV.

    Para efeito de comparação, minha carteira que é bem diversificada rendeu aproximadamente 6,7% de dividendos, considerando o valor da carteira no início do ano. Claro que durante o ano fiz reinvestimento de dividendos e novos aportes, mas não tenho dúvida que se calculasse sem levar isso em consideração também ficaria próximo dos 6%.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Incorreto,
      Creio também que 6% é possível. Minha carteira não foi planejada para exatamente 50% crescimento, 50% dividendos. Mas procurei colocar um pouco de cada nela.

      6,7% é muito bom.

      Abs!

      Excluir
    2. Ola ID.
      A idéia é contar somente com os proventos anuais, desconsiderando eventuais retiradas de capital investido?

      Excluir
    3. Vaca,

      Sim. A idéia é só utilizar os proventos para viver de renda e não vender os ativos.

      Excluir
  2. conto 4% ao ano, em média. Há cias que, neste momento, não precisam me dar proventos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 4% cai na tal TSR (taxa segura de retirada).
      Acho muito pouco. Com 4% vou ter que acumular muito mais capital para alcançar a independência financeira. Pelo menos 5%...rs

      Excluir
  3. 6% é o número mágico do Décio Bazin, tema de seu livro. Através das gerações têm se mostrado um ótimo norte de rentabilidade para os investimentos em ativos reais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouvi falar demais do livro dele, mas ainda não o li.
      Cada vez fico mais interessado.

      Abs!

      Excluir
  4. 6% acima da inflação, certo?

    Mas e a desvalorização que os FII´s sofreram ultimamente? Sei que isso não pesaria tanto, contanto que eles continuassem pagando os dividendos de alugueis, mas 10% de 10 reais é uma coisa, e de 100 é outro hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VBI,

      Não fiz análise de desvalorização das ações, nem dos FII.
      Gostaria de receber de proventos estes 6% fossem corrigidos (acima da inflação) anualmente.
      Não penso em 10% de 10 reais. Penso em 10% sobre a quantidade da ações e não pelo valor delas.

      Abs!

      Excluir
    2. Entre 6% e 6,50% + inflação você tem no Tesouro Direto em NTN-B e NTN-B Principal... Na minha opinião para valer o risco adicional da renda variável o yield tem que ser superior a isso...

      Excluir
    3. IR,
      O problema é que ainda temos que descontar no mínimo 15% de imposto de renda.
      Então o valor cai para 6% x 0,85 = 5,1%.

      Gostaria de realmente 6% líquido.

      Talvez uma carteira balanceada de Dividendos e FIIs, consiga isto facilmente.
      Fiz um calculo rápido aqui. Se tivesse uma carteira composta de 75% de empresas que geram 5% de dividendos e 25% de FIIs que geram 9% ao ano de aluguel, no composto dá exatamente 6%.
      abs!

      Abs!

      Excluir
    4. Na verdade o líquido ainda é menor, pois o IR incide sobre tudo.

      Se a inflação for de 6% e o rendimento for de 6%, então o imposto será em cima de 12%, ou seja, será 10,2%. Pra corrigir pro real => 1,102/1,06 = 3,96% (inferior aos 5,1%).

      Cara, vivemos no país com maior juros reais do mundo (Rússia fez uma graça agora). Conseguir este rendimentos em títulos de renda fixa e com risco soberano é QUASE o almoço grátis. O risco maior é o câmbio mesmo (em termos de poder de compra).

      []s!

      Excluir

    5. É verdade Dimarcinho!
      Valeu pela correção! Piorou ainda mais. rs
      Pra mim não tem jeito. Tenho que arriscar um pouco em ações.
      Depender só de 3,96% a.a. de rendimento só dele, o capital a ser a acumulado para viver de renda é brutal.rs

      Valeu! Abs!

      Excluir
    6. Dimarcinho,

      Fiz uma simulação do tesouro direto para vencer daqui 45 anos e deu 11,67% líquida descontando o imposto de renda.
      E descontando 6% da inflação deu 1,1167/1,06 = 5,34%
      Simulando com menos anos, 4 anos, aí para para 10,51% sem descontar o I.R.
      Pelo que entendi, parece que há um "benefício" de gerar dinheiro com o dinheiro que ainda não foi descontado o I.R.

      Segue simulação:


      Data da Compra: 01/01/2015
      Data do Vencimento:01/01/2050
      Valor Investido:100,00
      Taxa do Papel na Compra (%a.a.): 6%
      Taxa de administração do banco/corretora (% a.a.): 0%
      Taxa de Inflação (IPCA) para o Período (%a.a.): 6%


      Título: NTN-B Principal
      Dias corridos entre a data de compra e a de vencimento: 12783
      Dias corridos entre a data de compra e a de venda: 12783
      Dias úteis entre a data de compra e a de vencimento: 8788
      Dias úteis entre a data de compra e a de venda: 8788
      Valor investido líquido: R$ 100,00
      Rentabilidade bruta (a.a.): 12,36%
      Taxa de Negociação (0,0%): R$ 0,00
      Taxa de administração na entrada: R$ 0,00
      Valor investido bruto: R$ 100,00
      Valor bruto do resgate: R$ 5.820,81
      Valor da taxa de custódia do resgate: R$ 310,96
      Valor da taxa de administração do resgate: R$ 0,00
      Alíquota média de imposto de renda: 15,00%
      Imposto de renda: R$ 811,48
      Valor líquido do resgate: R$ 4.698,37
      Rentabilidade líquida após taxas e I.R. (a.a.): 11,67%


      Excluir
    7. Interessante, depois paro pra fazer as fórmulas com calma pra avaliar. Mas na medida que o prazo aumento, a taxa líquida também aumenta.

      Mas o interessante que neste caso a rentabilidade ficou 94% da acordada, mesmo com a taxa de custódia (não encontrei este número, olhei rápido aqui, mas acho que é 0,30%aa, né?)

      Mas isso está em linha com o teórico: quanto maior prazo, maior tem q ser a taxa (pois o risco é maior).

      []s!

      Excluir
    8. Dimarcinho,

      Até agora acho isto estranho. Pensei que a regra seria a mesma, independente do prazo.
      Ainda não entendi a razão disto.

      Abs!

      Excluir
    9. Já entendi. É assim mesmo. O imposto de renda incide sobre a renda, ou seja, sobre a diferença entre o capital final (em teoria, C0*(1+i)^n) e o capital inicial (C0)

      Partindo disso, dá pra achar a relação. A taxa não é intuitiva, mas a função é crescente em "n" (tempo), ou seja, quanto maior for o prazo, maior será a rentabilidade líquida.

      Se eu não fiz nenhuma cagada nas contas, rsrsrsrs, acho q é isso aí mesmo!

      []s!

      Excluir
    10. Bom... pelo menos vc achou a razão! rs
      Interessante como a gente sempre acaba aprendendo algo novo.
      Esta eu não esperava.

      Abs!

      Excluir
    11. O ponto principal aí é que imposto incide sobre a renda e não sobre a rentabilidade.

      Sim, é um constante aprendizado.

      []s!

      Excluir
  5. Essa comparação é fantástica... mas realmente falta analisar a valorização/desvalorização da carteira de FII... uma comparação bacana seria a de carteiras dos índices... IFIX x IDIV... seria bacana comparar tanto valorização qto dividendos distribuídos...

    Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não analisei valorização/desvalorização das ações/FII. Nem sei se conseguiria analisar.
      Estou preocupado só com os alugueis/dividendos.
      Minha ideia é precisar somente deles para usufruir.

      Abs!

      Excluir
  6. Essa matéria não é sua. Deixemos de canalhice.

    ResponderExcluir
  7. Fala ID, tudo bem?
    Excelente post, cara, eu sou um dos que pretende tirar renda de dividendos. Talvez não "viver", mas espero que daqui uns anos eles complementem fortemente minha renda. Esse ano obtive quase 6% de div, sendo que comprei boa parte da carteira quando algumas ações se tornara Ex, portanto, acredito que ultrapassaria esse valor. Mas vale ressaltar que minha carteira é levemente voltada pra isso.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pq complementar? Sua renda atual não dá para vc viver só dela?
      Pretendo viver apenas com maior parte do meu salário.
      Rendas extras são para a independência financeira.

      Abs!

      Excluir
  8. Olá! Parabéns pelo blog!

    Uma pergunta: você considerou a inflação nesse cálculo?
    Eu sempre fico na dúvida de como pensar a respeito dos dividendos x inflação

    Teoricamente, o valor da ação sempre subirá, e o valor dos dividendos distribuídos por elas também
    Mas a inflação também existe e os preços dos produtos continuarão subindo, fazendo com que o poder de compra dos dividendos fique constante no tempo
    Em outras palavras, não dá para melhorar o padrão de vida com eles, eles simplesmente vão comprar no futuro, o que eles compram hoje

    Claro, no seu caso, com rendimentos de 6% e uma inflação de 4,5%, você teria uma gordura de folga e não perderia padrão de vida.. mas com dividendos de 4% eu sinceramente não sei se isso se aplica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo,
      Concordo com vc.
      Eu espero que os dividendos pelo menos mantenham o poder de compra, ou seja, o valor da ação teria que subir na taxa inflação para continuar mantendo o poder de compra de 6%.
      Eu não tenho expectativa que as ações irão me deixar milionário, melhorar meu padrão de vida.
      Se eu conseguir pelo menos gerar o meu salário apenas com os dividendos para não depender dele para viver, já estaria muito satisfeito. Sou uma pessoa frugal. Já ficaria muito feliz se isto acontecesse.

      E Infelizmente nossa inflação não é 4,5%... Plano de saúde, escola já é muito mais que isso. E esses 2 itens possuem um peso muito grande no orçamento familiar de muita gente.

      Abs!




      Excluir
  9. Belo estudo, ID! Espero que você sempre o atualize!

    Como você não divulga valores, poderia pelo menos dizer quantos % das suas despesas são cobertas pela renda passiva? E a variação dos proventos em valores absolutos quando comparados com os do ano anterior?

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu LL!

      Bom, se eu somar o meu capital das ações + previdência (já descontando o IR), está dando uns 11% de despesas cobertas, considerando 6% aa de proventos. Se eu continuar no ritmo triste de aportes pequenos como hoje, demorarei mais uns 19 a 20 anos...Estarei com 55..56 anos para cobrir 100%. Esta é minha projeção. E ainda contando com as migalhas do INSS... Ou seja. Não vai dar para ficar independente jovem. O que vai dar pra fazer é ter uma aposentadoria razoável.

      Os proventos dividendos aumentaram em 4,18% comparados ao ano anterior.

      Abs!

      Excluir
  10. Investidor, bom dia!
    Tenho seu blog cadastrado na minha lista de blogs favoritos e acompanho suas postagens com frequência.
    Estou fazendo uma pesquisa das ações, FIIs e modalidades de renda fixa mais promissoras para os próximos 4 anos. Você poderia participar?
    Se sim, basta responder este post listando as 5 ações preferidas, 5 FIIs preferidos e a modalidade de renda fixa preferida.
    Grato,
    Uó!
    http://blogdouo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó,
      Lá vai.
      Ações: Bradesco, Itau, Cielo, Cemig e Ambev.
      FII: Não compro e não acompanho.
      RF: Tesouro direto LFT.

      Abs!

      Excluir