segunda-feira, 1 de setembro de 2014

[Guest Post] O mercado de ações é uma excelente opção para os jovens que desejam investir

Este post é um oferecimento da Regina Di Ciommo, colaboradora do site Capital de Giro ao blog Investidor Defensivo.

Os jovens precisam encarar o Mercado financeiro e de capitais sem os mitos que costumam cercar essas atividades. Se as novas gerações aprenderem a participar dos investimentos em ações vão dar um salto em direção à independência financeira a médio e longo prazos, além de contribuírem para fortalecer o mercado e as empresas do Brasil.

O BM&FBovespa apoia essa ideia e criou o grupo Ação Jovem do Mercado Financeiro e de Capitais. O grupo já conta com seis mil associados, funcionando em São Paulo e seus seminários, palestras e outros eventos recebem nomes de destaque na área empresarial e financeira. O objetivo é apoiar o jovem que inicia na atividade de investimento, orientando para os direitos e riscos envolvidos na Bolsa de Valores.

Aprender a jogar
Quando o jovem entende como funciona o mercado e identifica as melhores estratégias e alternativas para participar como investidor, pode passar a maximizar as oportunidades e administrar riscos com paciência e até minimizá-los.

O mundo das ações parece complicado, com uma linguagem que de início é estranha. Mas na medida em que estuda e se familiariza com as expressões utilizadas, o conteúdo vai se tornando acessível e o jovem pode buscar o que for mais adequado para o seu caso. Para quem está querendo se libertar da rotina, dos horários e da monotonia de ser empregado em uma empresa e não tem paciência para a burocracia, o mercado de ações oferece ótimas oportunidades. O conhecimento técnico e a experiência construídos durante algum tempo são suficientes para administrar o risco e evitar prejuízos no longo prazo.

Imagem: http://www.granabook.com.br/capitulo/6

Primeiros passos
Se todo início de mês você paga suas contas e tem que enfrentar ainda uma despesa inesperada que já consome todo seu salário, é possível que esteja faltando planejamento financeiro no seu orçamento. O que fazer?

- A primeira coisa que é preciso fazer para começar a investir em ações e atingir o objetivo de se libertar do salário é controlar as despesas.

- O passo seguinte é começar um processo de organização e seguir uma disciplina para o acompanhamento das receitas, gastos e investimentos de economias mensais. 

- A Planilha de Orçamento, é a ferramenta que pode ajudá-lo. Deve se adaptar às necessidades individuais, porque cada pessoa tem necessidades específicas, isto é, o que você considera supérfluo, pode ser essencial para o seu companheiro ou companheira, por exemplo.

O investimento
O objetivo para investir é sempre o mesmo: conseguir maiores ganhos. O mercado oferece muitas alternativas para os investidores, mas cada uma vai se adequar a um perfil de investidor. Apesar do objetivo ser o mesmo, os investidores variam desde os mais conservadores, que não querem se arriscar, até os mais agressivos, que enfrentam grandes riscos. Ou seja, o que faz a diferença no mercado é o grau de risco nos investimentos.
Os investidores mais conservadores podem optar pela renda fixa, em que não há perda, mas o lucro é bem pequeno se comparado com o investimento em ações, ou renda variável. A poupança, se comparada com ações, não rende praticamente nada.
Quem entra no mercado de ações não pode ter uma mentalidade imediatista e achar que vai lucrar rapidamente. Assim também, quanto maior o risco, maior será o ganho, mas também a perda. Quem não está disposto a arriscar, não pode esperar os ganhos maiores.

Para começar, o investidor jovem pode aprender aplicando uma quantia que pode arriscar sem comprometer a sua vida financeira. Poderá ser um dinheiro que, caso seja perdido, não ocasionará grandes traumas. Depois de estudar e aprender a investir, aí poderá arriscar uma quantia de dinheiro maior.

Se no início ocorrerem perdas, é preciso habilidade emocional e paciência para que a perda seja compensada no futuro. Para quem está realmente interessado em aprender e for persistente, cada perda representa um investimento. Uma boa forma de aprender são os simuladores em sites conhecidos, que ensinam a operar com ações. Os cursos oferecidos pelas corretoras são muito úteis, porque eles contam com profissionais especializados para ajudar você. Eles podem orientar quanto aos novos produtos disponíveis no mercado e aqueles que atendem melhor suas necessidades.

É importante frequentar cursos, palestras e ler artigos e livros sobre mercado de capitais. As informações são úteis para administrar da melhor forma os investimentos e levar o jovem investidor a uma vida financeiramente independente. Com todo um futuro pela frente, o jovem precisa e pode se planejar para viver com a melhor qualidade de vida possível.

Por Regina Di Ciommo, colaboradora do site Capital de Giro.

5 comentários:

  1. Ahh se eu tivesse estudado como investir com meus 18 anos...
    Hoje teria bem mais grana do que tenho hehe;.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VBI,

      Eu tb gostaria de ter começado com os 18 anos.
      Mas de qualquer forma, é melhor qualquer pessoa começar o quanto antes possível!

      Abs!

      Excluir
  2. Graças a Deus eu aprendi a investir cedo. É o que considero minha maior conquista intelectual. Tento passar isso pra maioria das pessoas, mas ninguém tá nem aí.... Foda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom demais Thales!
      Sobre convencer as pessoas, eu tb passo por isso.
      Inclusive com pessoas da minha família!

      É muito complicado mesmo!

      Abs!

      Excluir