terça-feira, 20 de novembro de 2012

Definindo o valor da renda passiva para alcançar a Independência Financeira


Para definir quanto é necessário, precisamos é saber qual o valor total das despesas.
Pois é através da renda passiva (juros de investimentos,aluguéis,etc) que elas serão pagas. Conseguindo isto, pode-se considerar independente financeiramente.

O valor total das despesas é algo muito pessoal e varia ao longo do tempo.
O que podemos fazer é uma estimativa através do velho e famoso orçamento financeiro.
E quanto mais específico e detalhado este orçamento, melhor.

Criei uma planilha simples de exemplo. Clique aqui. 

O ideal é que cada um baixe a planilha, altere os itens e estime valores realistas.
Nada de otimismo ou pessimismo demais. Seja sincero.
Não tente enganar você mesmo.

Sobre a estrutura e dados da planilha:

- Nela estão 3 colunas para estimar pelo menos 3 fases da vida.
No exemplo, separei por idade, coloquei uma situação onde a pessoa irá ter filhos (26 a 55 anos) e posteriormente o(s) filho(s) já estão pelo menos ganhando seu próprio dinheiro. Altere as fases para a sua realidade presente e possível realidade futura.

- Cada valor é a despesa mensal. As despesas que não ocorrem todo mês, como o seguro de carro por exemplo, informe o valor anual dividido por 12.


Analisando a planilha:

- A intenção destas fases é evidenciar o quanto é diferente o total das despesas em cada fase. Para se considerar independente financeiramente, a sua renda passiva deve conseguir pagar a fase que possui a maior despesa.

- As maiores despesas provém das grandes decisões tomadas na vida. No exemplo aparece o financiamento do apartamento, quantidade de filhos, despesas com automóvel. Você é totalmente responsável pelos seus atos e consequentemente pelo seu sucesso financeiro! Não coloque a culpa apenas na inflação, no seu salário, no governo etc.

- Quanto mais luxo e mais "necessidades imprecindíveis" maior a despesa. Consequentemente a renda passiva terá que ser muito maior.

- Ser frugal diminui as despesas e a renda passiva não precisará ser tão alta. O caminho da independência financeira consequentemente será menor.

- A vida é muito imprevisível. Por mais que estimamos, podem ocorrer vários eventos que não esperamos. Então é necessário refazer as estimativas e  tentar agir, mudar o que é de nosso alcance.
Como na famosa frase: "Eu não posso mudar a direção do vento, mas eu posso ajustar as minhas velas para sempre alcançar o meu destino."

Este post é um tópico do Guia da Independência Financeira.

5 comentários:

  1. Boa, ID!
    Vou fazer uma adaptação para minha realidade.. não tenho mts gastos fixos pois moro com meus pais..
    Vou ver se consigo me organizar pra ano que vem aportar c mais disciplina..
    O problema de planilhar tudo é ter cuidado pra nao ficar "psíco" ...exemplo: separar 20 reais p cortar o cabelo e se o cabeleleireiro aumentar pra 25, vc deixar de cortar c ele pq vai fugir do seu planejamento.. rsrs
    é um exemplo pequeno.. ( é óbvio que não é desta proporção..mas acho que o bom senso não pode ser esquecido..ás vezes, "sair da linha" é bom..rsrs

    adorei a planilha!

    Bjs,
    Jovem investidora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi JI,
      Que bom que gostou!
      Aproveite ao máximo o momento que etá morando com seu pais, para economizar. E utilize esse dinheiro para investir em ativos e ou também em educação para melhorar na carreira.

      Entendi a questão do 20..25. Acredito que quanto maior for o peso da despesa, mais a gente tem que se preocupar. 20 para 25 é uma coisa. 2.000 para 2.500 é outra. Dou prioridade em tentar diminuir as maiores despesas, pois elas afetam mais que as pequenas.

      Planilhar tudo é bom tentar visualizar o gasto real.
      Sou muito preocupado em medir quanto preciso para que ter mais aproximado possível o quanto preciso para tornar independente financeiramente. Vejo que muita gente acha que precisa juntar X de capital, mas na verdade precisa é de muito mais.
      Aí temos 2 soluções. Ou aumentar o valor acumulado ou diminuir as despesas.

      Bjs!

      Excluir
  2. Olá ID!

    Estou fazendo meu orçamento 2013, espero que eu consiga cumpri-lo, já que deixei vários ítens bem flexíveis e espero que ele se torne algo fixo, com correção anual pela inflação.

    O grande problema são os imprevistos e as mudanças de planos, saber a necessidade de dinheiro daqui a 5 anos é praticamente impossível, que dirá daqui a 30... Nesse contexto, a semi-aposentadoria se encaixa muito bem, né?

    Abraço!

    Corey

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Corey,

      Realmente os imprevistos podem acabar com tudo.
      Ninguém sabe o que pode acontecer. Uma doença grave, um parente doente, acidentes, etc.

      Única coisa que podemos fazer é tentar tomar conta das coisas que podemos controlar. Despesa com moradia, despesa com carro, decisão de quantidade de filhos etc. Isso já é de uma grande responsabilidade só nossa. E rezar e torcer para grandes imprevistos não acontecerem. De qualquer forma, um imprevisto com as contas controladas é menos pior do que se não fizéssemos nossa parte.

      A semi-aposentadoria é uma boa. Mas para isso preciso mudar de empregado para autônomo ou empreendedor. Não tenho nada planejado sobre isso ainda, mas penso nisto sim.

      abs!

      Excluir