quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Um caso de Finanças no dia a dia

Segue relato de um caso em algum lugar, em algum dia...

Bate papo entre um Investidor e um "Incrédulo Financeiro".

Investidor diz:
Então. Vc diz que não consegue economizar... Agora vc recebeu um aumento de 10%.
Pq vc não pega esse aumento e guarda e investe este dinheiro, já que não não vivia com ele antes mesmo, considere que não teve aumento e pronto!

Incrédulo Financeiro diz:
Meu segundo filho está para nascer... CALCULA O AUMENTO DAS MINHAS DESPESAS!
E aí? Acha que dá para guardar alguma coisa?

Investidor diz:
Puf!...


Resolvi citar o caso apenas para enfocar que a teoria é tudo é muito bonito, mas a realidade é bem mais complexa...

11 comentários:

  1. Como ele faria se tivesse o segundo filho sem o aumento?
    O ser humano encontra o caminho mais fácil para evitar a dor.

    Abraços,
    Marcos

    ResponderExcluir
  2. Meu pai já dizia pra tudo na vida tem jeito, menos pra mrote ... morte só Deus mesmo!!! Mas o Resto agente corre atrás...

    ResponderExcluir
  3. Bueno! Este segundo filho levou nove meses de gestação..... e provavelmente este incrédulo não guardou nenhum cobre (dinheiro) nestes nove meses.... logo, este aumento de 10% não terá o destino (investimento) que qualquer um com educação financeira teria...

    Baita abraço

    ResponderExcluir
  4. Pessoal,
    A minha intenção não foi de recriminar.
    É apenas um exemplo de que existem acontecimentos imprevistos na vida da gente.No caso, um novo filho pode ser um imprevisto que pode acontecer com qualquer um.

    Por mais que planejamos financeiramente, as coisas podem não acontecer como o previsto.
    O que podemos fazer é replanejarmos a cada mudança que surgir ao longo da vida.

    Abs!

    ResponderExcluir
  5. A realidade é muito simples também, as pessoas é que tendem a complicar.

    Pode acabar tendo um segundo filho por acidente? Pode, claro. Mas as chances diminuem muito com pessoas organizadas e que se planejam em todas as áreas da vida, o que pelo percebi, não é o caso desse incrédulo.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. IV,
    Por mais organizados que podemos ser, sempre
    pode ocorrer algo que afeta e muito nossas despesas.
    Podemos diminuir as probabilidades sendo organizados e disciplinados. Mas não cerca todos os casos.
    O que é da nossa possibilidade e responsabilidade podemos tomar conta.
    O resto, o que podemos fazer é só rezar pra não acontecer.

    ResponderExcluir
  7. Complementando.
    O que estou querendo passar a mensagem é que o planejamento, a meta que colocamos em uma projeção em um planilha para anos futuros, 10, 15, 20 anos simplesmente pode mudar de uma noite para o dia.
    E que as boas práticas teóricas de economia servem para um modelo perfeito. E que a nossa realidade é bem variável.
    O que acho que podemos fazer é replanejarmos constantemente.
    abs!

    ResponderExcluir
  8. ID,

    Doença grave até entendo, mas filho você tem pelo menos nove meses para se adaptar.
    Se a pessoa procura desculpa para não investir o excedente, nunca terá patrimônio.
    Patrimônio exige esforço, abdicação.
    Teve o segundo filho e quer investir, troca o carro para um popular. Diminui gastos com diversão. Seja criativo ao invés de ser acomodado.
    Agora, arrumar desculpa só faz o cara ficar no mesmo lugar.
    Me diga o que acontece se ele perde o emprego. Vai entrar no cheque especial e cartão de crédito para não diminuir o padrão de vida?
    Abraços,
    Marcos

    ResponderExcluir
  9. Para mim a lição deste caso é a seguinte:

    Se você não quiser economizar, meu amigo, você vai ter SEMPRE uma desculpa. Não importa se ela é legítima ou não, quem quer fazer muito uma coisa, simplesmente FAZ, dá um jeito.

    Até !

    ResponderExcluir
  10. Anonimo e Renato,
    Concordo com vcs. É dificil mas não é impossível economizar.

    abs!

    ResponderExcluir