domingo, 2 de outubro de 2011

Custo e rendimento do balanceamento da renda fixa (RF) para renda variável (RV) - Parte 01

Estou assustado com os meus cálculos.
Será que estou analisando corretamente? Meu raciocínio está correto?

Pela minha simples análise, balancear utilizando tesouro direto por exemplo, o valor das ações teriam que cair demais para valer a pena. E ainda correr risco.

Analisando dessa forma, chego a conclusão rápida aqui que é melhor deixar uma boa reserva em poupança mesmo para não ter que pagar IR e aproveitar as quedas bruscas na bolsa.
Parece realmente não ser uma boa pagar os impostos para investir em outro tipo de ativo.

Pelo jeito meu balanceamento vai continuar sendo feito apenas com os novos aportes.




PS: Estou até com medo de fazer a análise inversa (RV->RF) onde tenho que pagar os 15% dos ETFS. E chegar a conclusão de montar uma carteira própria para tentar fugir um pouco dos impostos.

6 comentários:

  1. Caro ID, sua planilha tem 2 erros:
    1) Você quer transferir 30.000. Você coloca na célula C10 que você vai pagar 4.500 de imposto (15% de 30.000)!!?? Isto está totalmente errado. Você vai pagar 15% do lucro que você teve com a aplicação e não 15% do montante retirado da RF. Isso vai dar muito menos que 4.500. Isso é o básico numa análise de investimento.

    2) na célula C11, você coloca que para a ação voltar ao valor inicial, ela deve valorizar o quanto ela caiu (20%). Na verdade, se uma ação cai 20%, ela precisa subir 25% para voltar ao valor inicial; se ela cair 50%, ela precisa subir 100% para voltar ao valor inicial. Exemplo: se uma ação que vale 10 cai 20%, ela cai para 8. Essa ação valendo 8 precisa subir 25% para voltar a 10. Faça as contas.

    O primeiro erro é muito mais grave para sua análise que o segundo, mas ambos inviabilizam sua análise e tornam suas conclusões equivocadas.

    Sugiro refazer totalmente a planilha para evitar que seus leitores recebam informações incorretas.

    ResponderExcluir
  2. Renato,
    Primeiramente, obrigado pelo seu comentário. Vamos lá:

    1- Estou supondo 30 mil seriam apenas lucro mesmo. Escrevi isto agora na planilha.
    Com isso creio que estou enfatizando o quanto é o custo de balancear apenas com o lucro já obtido.
    Quem quiser, pode fazer a simulação com os valores mais baixos, 5mil, 10 mil...

    O importante mesmo é o rendimento líquido encontrado na linha:

    "Possível rendimento líquido SE ação voltar ao valor inicial (Se voltar!)"


    2- Concordo com seu cálculo. Errei por correria mesmo. Corrigi a fórmula da célula C11.

    Sendo assim, meu raciocínio esta correto?


    Tenho a preocupação de passar as informações corretas mesmo, por isso ponho a prova e aceito as correções e revisões que forem necessárias!

    Qualquer coisa, comente novamente!

    Valeu Renato!

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Renato,

    Complementando.
    O que cheguei a conclusão é que o balanceamento só seria interessante quando a queda das ações for pelo menos maior que o % pago em impostos.
    Isto considerando o balanceamento feito com o lucro produzido pela parte da RF.

    Abs.

    ResponderExcluir
  4. ID, valeu pelos comentários e pelas alterações. Sua ideia ficou legal, por isso comentei e gostei de discuti-la. Realmente, sua conclusão está certa, desculpe, não me expressei bem. O que questionei foi a metodologia do cálculo, que poderia levar pessoas a fazer análises incorretas. Ainda assim, acho que vale ainda explorar um pouco mais o conceito do cálculo. Também não sei se estou certo, mas vou tentar explicar como eu acho que funciona, para ver se chegamos num entendimento.

    Exemplo hipotético: supondo que você põe 100.000 no Tesouro Direto e depois de alguns anos você tem 160.000 (você teve lucro de 60.000 ou 60%). Se você sacar 30.000, a receita vai entender que você está sacando uma parcela dos 100.000 acrescida de lucro de 60% (algo assim: x + 60%_de_x = 30.000) onde x é uma parte dos 100.000. O sistema então vai entender então que dos 30.000 que você tá sacando, 18.750 são da aplicação inicial e 11.250 são lucro. Daí, o sistema te tira 15% de 11.250, o que dá 1.687. Isso seria o IR que você pagará e não os 4.500.


    Tudo bem, você pode considerar para seus controles pessoais que você tá sacando só lucro, mas o sistema da Receita não consegue fazer a diferenciação e não entende isso.

    Da forma como vejo, não há como pagar 4.500 de IR numa aplicação de Renda Fixa sacando só 30.000 da aplicação. É preciso sacar muito mais para se pagar isso. Se for esse o caso, o seu saque altera totalmente o balanceamento entre RF e RV, pois não se trataria de mera transferência de recursos, mas sim um grande saque com a transferencia de uma pontinha dele (só os 30.000)

    Consegui me fazer entender? Se sim, você concorda?

    ResponderExcluir
  5. Renato,
    Entendi. E concordo.
    Pq no tesouro direto, vc faz a retirada vendendo certa quantidade de títulos.
    E cada título tem seu valor + o rendimento embutido. Realmente não dá para falar que estou retirando apenas o juros.
    Agora danou a planilha toda! rs

    Vou ter que pensar como corrigí-la.

    Vou pensando aqui...
    Valeu pela ajuda.

    ResponderExcluir
  6. Alterei e criei outro post.
    Vão ver se agora eu acerto!

    http://investidordefensivo.blogspot.com/2011/10/custo-e-rendimento-do-balanceamento-da_02.html

    ResponderExcluir