sábado, 16 de outubro de 2010

Investimento - O jogo do perdedor

Vou aproveitar o blog para "guardar" também textos, artigos que acho interessante.
Copiei e colei de:
http://forum.investidoragressivo.com/viewtopic.php?t=1234&postdays=0&postorder=asc&start=0
Fórum excelente. Ainda tem bilhões de informações para eu ler por lá...rs

Acordei pensando em procurar, estudar informações sobre Asset Allocation para analisar realmente minha decisão de 50% RF e 50% RV (ainda estou estudando se essa proporção é ideal) e acabei achando o artigo abaixo.
Boa leitura !

Investimento - O jogo do perdedor

Extraído do livro: Tornando-se um investidor – construindo riqueza
investindo em ações, títulos, e fundos mútuos - Capítulo 2:
Por Peter I. Hupalo

Tradução e adaptação de SER-

Em uma famosa palestra de abertura do ano letivo de uma universidade, * o orador disse que, se ele tivesse que dar apenas um conselho aos formandos, esse conselho seria: usem filtro solar. Se eu tivesse que dar apenas um conselho a vocês, esse certamente não seria usem filtro solar, embora o uso de filtro solar para proteção contra os raios ultravioleta do sol seja um bom conselho.

Sim, existe uma coisa que devemos saber e que é muito importante se desejarmos realmente sobreviver e prosperar como investidores em qualquer situação, seja num mercado de alta ou de baixa. É uma coisa que poucos investidores conhecem e que você não conseguirá explicar facilmente aos seus amigos e familiares. A maioria dos profissionais de investimentos nunca vai querer que você saiba o que irei dizer, embora o assunto seja muito conhecido entre os melhores investidores. A razão disso é que se você compreender bem este conceito, não será mais um cliente lucrativo para eles.

Talvez, você também não queira aceitar esse conselho. Usar filtro solar é um bom exemplo de conselho fácil de ser seguido. Ele diz alguma coisa para você fazer. É proativo. Você realiza uma ação e obtém um resultado. As pessoas gostam disto. Faz com se sintam no controle da situação. Faz com que se sintam poderosas. Faz com que se sintam vitoriosas e que sintam que a razão de seu sucesso é o resultado da sua inteligência e do seu trabalho. Faz com que tenham controle sobre a sua vida. A proatividade é legal!

Por exemplo, eu adorei escrever meu primeiro livro, Thinking Like An Entrepreneur (Pensando Como Um Empreendedor), porquê era proativo. Ele ensina as pessoas como agir para obterem sucesso – E no que se focar para vencer na criação e desenvolvimento de uma companhia. Escrever esse livro foi muito agradável. Anos antes de escrever “Thinking Like An Entrepreneur”, eu tinha feito uma monografia sobre investimentos que decidi, naquela época, não publicar.

Eu não acreditava que o livro viesse a se tornar popular porquê aparentava ser extremamente negativo. A maior parte do tempo dizia às pessoas o que não fazer. E, pior ainda, dizia que mesmo que elas tivessem obtido sucesso como investidores no passado isso não tinha o menor significado, e que isso também não era conseqüência da sua estratégia superior como investidor. Quem iria querer ler um livro como esses? Depois, pensando melhor, cheguei à conclusão que existem vários investidores inteligentes que poderiam beneficiar-se desse livro. E, dessa forma, aqui vai meu melhor conselho sobre investimentos: Investimento é um jogo de perdedor. Nunca se esqueça disso. Repita isso para si mesmo todos as noites antes de dormir.

Vamos examinar agora o campo de investimentos como se ele fosse um jogo.

O que determina se as pessoas irão ganhar ou perder um jogo? Existiriam princípios que poderiam ser aprendidos e que auxiliariam o investidor a conseguir resultados melhores? Eu acredito que os melhores princípios que podem ser adotados por um investidor individual são: ignorar o mercado, minimizar os custos das operações, investir no longo-prazo e, o mais importante, conhecer as suas limitações como investidor.

Existem dois tipos de jogos: "O jogo do vencedor" e o "jogo do perdedor”. Mas isso não quer dizer que só perdedores joguem determinado tipo de jogo e que os vencedores joguem outro. Isso não tem nada a ver com as características pessoais de cada um. Quando eu digo “jogo do perdedor”, eu não quero dizer que investidores são perdedores. É apenas uma forma de classificar os jogos para conseguirmos compreendê-los melhor. O resultado de qualquer jogo competitivo depende da atuação de ambos, do vencedor e do perdedor. Mas isso não quer dizer que apenas as atitudes do ganhador irão gerar os resultados. Muitos jogos não são ganhos, mas sim, perdidos. É importante compreender bem esta diferença.

Jogos de vencedor são aqueles em que os resultados são determinados pelas atitudes do vencedor. Jogos de perdedor são aqueles cujos resultados são determinados pela ação do perdedor. Tênis amador é um exemplo típico de jogo do perdedor. É o jogo daqueles jogadores que não são bem treinados e não possuem habilidades suficientes para obter resultados com consistência. As tentativas de conseguir saques melhores que o adversário, não lograrão êxito e aumentarão o número de bolas fora. Insistir nisso significará entregar vários pontos ao oponente. Quanto mais competitivo um tenista amador tentar ser, mais as dificuldades inerentes do jogo aumentarão o placar em favor do adversário. O tenista não estará jogando apenas contra o adversário, mas também contra as dificuldades inerentes do jogo. Quanto mais competitivo o tenista amador tentar ser, mais irá perder do próprio jogo.

Para aquele tenista que ainda não pegou a “manha do jogo”, é muito melhor apenas limitar-se a devolver a bola dentro da quadra do que ficar tentando ganhar. Mantenha a bola em jogo e dê ao adversário a oportunidade de errar. E, quanto mais ele tentar, mais vai errar!

Mas, se você for um tenista profissional a coisa muda completamente de figura. Tênis profissional é um jogo de vencedor. Os jogadores de tênis profissionais já conhecem os “macetes” do jogo. Mas, apenas conhecer os “macetes’ do jogo não é suficiente. Para vencer você precisa jogar melhor que o adversário. Rebater a bola dentro da quadra não é o bastante. O adversário vai errar muito pouco e pode muito bem colocar a bola num lugar aonde você não vai conseguir pegar. No tênis amador, cada jogada é uma oportunidade para o adversário. No tênis profissional rebater é uma oportunidade única para o tenista. Os profissionais procuram ter o serviço como vantagem. Os tenistas amadores tentam ter o menor contato possível com a bola!

Fazer o jogo do perdedor é a única opção do tenista amador até que tenha aprendido a jogar direito. Quando eu era mais novo, consegui perder vinte seis “games” consecutivos para um amigo. Quanto mais eu ficava para trás, mais eu me esforçava para fazer uma jogada melhor.

Lembro-me muito bem que fiz uma jogada espetacular em que a bola caiu rente à rede, “matando” meu adversário. Uau! Mas que bela jogada foi aquela! Mandei muito bem! Que potencial eu tinha! Infelizmente, para conseguir aquela jogada, eu arremessei várias bolas na rede, isolei a bola fora do campo tantas outras, e ainda fiz uma série de outras besteiras que me custaram muitos pontos. Quanto mais eu tentava fazer belas jogadas, mais para trás eu ficava. Eu não tinha experiência de jogo. Bem, para dizer a verdade, eu nunca cheguei a ter!

Pessoas competitivas querem ganhar. Só que, o que elas fazem, acabam por distanciá-las ainda mais do resultado. Essas pessoas acabam por perder mais e mais. E continuarão insistindo, insistindo, até desistir. Essa é uma tendência natural do ser humano. Uma pessoa que realmente quer ganhar no tênis irá, com o tempo, aprender que mantendo as jogadas simples e a bola na quadra conseguirá ganhar muito mais jogos.

Algumas pessoas acabam se tornando excelentes tenistas amadores. Eles aprendem a manter a bola em jogo. Algumas vezes ficam tão confiantes que acham que podem vir a se tornar tenistas profissionais. É aí que descobrem que não conseguem vencer os melhores; os verdadeiros tenistas profissionais. Eles conseguiram ganhar muito no passado, embora não tenham conseguido aprender a técnica do jogo e se aperfeiçoar para se tornarem tenistas melhores. Eles vencem simplesmente deixando os outros perderem.

Os melhores jogadores aprenderam a jogar de verdade e dão duro no sentido de aperfeiçoarem sua arte. No tênis é possível aprender, se você se esforçar bastante. Assim, os melhores jogadores irão desenvolvendo uma técnica única de jogo enquanto vão se aperfeiçoando como tenistas. Eles irão jogar na defensiva quando isso for necessário. Mas, se estiverem muito à frente, irão esforçar-se para fazer belas jogadas. Assim, eles conseguem evoluir do jogo amador para o nível profissional e, com o passar do tempo, alguns vão aprender a fazer o jogo do vencedor no tênis. Mas, se eles continuarem a jogar contando com os erros dos outros, nunca chegarão ao nível profissional.

Agora você possui um completo conhecimento das diferenças entre o jogo do vencedor e o jogo do perdedor.

Investir é um jogo de perdedor. E não é um jogo de perdedor apenas no nível amador, mas, também no nível profissional. Com o passar dos anos, ficar tentando conseguir resultados superiores irá, invariavelmente, conduzi-lo a resultados abaixo da média. Tentar acertar o “timing” do mercado, efetuar “day-trading”, comprar opções e outras abordagens creditadas serem mais ativas é o mesmo que tentar fazer o jogo do vencedor - acreditar que seria realmente possível vencer o mercado.

Por exemplo, se você tivesse a sensação que o mercado estava superavaliado no ano de 1995, na iminência de fazer uma correção, e se mantivesse fora do jogo, teria perdido um dos melhores anos de todos os tempos. Mas, também teria perdido uma das maiores baixas como a que ocorreu em 1987. Que conclusão poderíamos tirar disso? Nós tendemos a lembrar somente de nossas jogadas gloriosas e esquecer das derrotas, da mesma forma que eu fiz com o tênis (ou, das quase-gloriosas que acabavam invariavelmente por me fazer perder o jogo).

Seu raciocínio diz que, se você conseguisse fazer com que todos os seus saques no tênis e suas decisões de investimento fossem tão boas como as melhores que você lembra ter feito, acabaria se tornando um campeão! Mas, são exatamente as tentativas de fazer aquela grande jogada que nos conduzem a derrota.

A nossa tendência é tentar enxergar no nosso sucesso uma prova irrefutável de que nossas habilidades e capacidades de fazer “market timing” são corretas, e que a nossa derrota deveria ser interpretada apenas como um indicador de que necessitaríamos aperfeiçoar um pouco mais nossos métodos. Se fizermos isso, estamos investindo, e mais especificamente, fazendo o “market timing” como se esse fosse um jogo de vencedor. Mas, não é! Nunca foi provado que ninguém, eu repito ninguém, conseguiu fazer “market timing” até hoje.

Procurar por ações que possam vir a subir, em um curto período de tempo, de 10 a 20 vezes a partir do exato momento que as compramos, ou buscar por ações de crescimento que possam subir 100 vezes em poucos anos como aconteceu na década de 90, é acreditar que investir na bolsa é um jogo de vencedor.

Você se lembra muito bem que a Dell, a Cisco e o Yahoo, subiram estratosfericamente. Comprar este tipo de papel implica que você se sinta confiante em encontrar oportunidades que estejam completamente menosprezadas pelo Mercado. Normalmente, você não acertará qual será a próxima Dell ou Cisco e, muito provavelmente, acabará com a próxima arapuca da moda na mão. O que traduzido em miúdos significa um mau investimento que poderá levá-lo a auferir grandes perdas.

Normalmente, investidores individuais não possuem treino suficiente em avaliação de companhias e o conhecimento necessário em análise fundamentalista para escolher ações dentre as melhores e mais agressivas opções oferecidas pelo mercado. Não se sinta mal por isso. Os profissionais que recebem milhões para fazer isso não conseguem se sair muito melhor.

A necessidade humana de fazer apostas aqui e ali sempre vai existir. Se você necessita investir nos moldes do jogo de vencedor, eu vou lhe dizer o que eu acredito serem as duas melhores estratégias. Uma é investir em companhias em recuperação (“turnarounds”). Estas são ações de companhias que passaram por maus bocados e saíram da graça dos investidores. Eu não posso ensiná-lo como escolher as companhias vencedoras dentre a matilha. Na verdade, ninguém pode, mas posso ajudá-lo a reconhecer em que companhias não investir. E esta é uma habilidade que vale a pena possuir. (NT- as “turnarounds” são explicadas em outro capítulo do livro).

A outra estratégia é procurar por companhias em crescimento (“growth stocks”). Novamente, eu não posso dizer a você como achar a próxima Microsoft. Ninguém pode. Mas eu posso ajudá-lo fornecendo alguns princípios para ter em mente. Algumas coisas para você procurar. Atributos que podem ajudá-lo a decidir se vale ou não à pena investir em companhias de crescimento. Este é o meu conselho sobre filtro solar. Se você vai ter que ficar sentado debaixo do sol, proteja-se da melhor maneira que puder!

Entendendo que investir é no fundo um jogo de perdedor, fará com que você evite fazer muitas jogadas. Ao invés de ficar procurando a grande vencedora, procure por consistência em resultados. O objetivo de um investidor inteligente deve ser investir em companhias grandes, de alta-qualidade e compradas a preços razoáveis. O resultado de uma carteira como essa deverá ser melhor do que uma carteira de ações aonde se pratica o “market timing” e, também, melhor que uma carteira especulativa de ações agressivas escolhidas “cuidadosamente” e com muito menos risco.

Um grande giro de carteira é um forte indício que estarmos tentando investir como se esse fosse um jogo de vencedor. Trocar as pernas rapidamente entre um investimento e outro, significa acreditar que é possível colocar dois investimentos em uma escala relativa de mérito, com alto grau de precisão. E você estará acreditando também que, no curto-prazo, o mercado irá reconhecer que você é o mais esperto e que todas as avaliações que você fez são corretas! Qualquer investidor que compra ações por si próprio julga ser capaz de estimar o mérito relativo de duas ações. Mas, nós devemos ser muito realistas a respeito da nossa capacidade de distinguir oportunidades. Normalmente, a diferença entre possuir duas ações é tão pequena, que não existe maneira correta de se saber qual delas virá a ser o melhor investimento. Isso é claro, supondo que o mercado irá premiar a melhor companhia com uma avaliação mais alta!

Mas, não acredite que isso vai ocorrer da noite para o dia. Ações subavaliadas não aumentam seus preços de uma hora para outra só porquê você as possui agora na carteira. Mas, nós podemos afirmar que: companhias que são prósperas em seus negócios, companhias que conseguem fazer crescer seus lucros e vendas através dos anos irão, mais que certamente, aumentar seu preço no mercado. E, mesmo que esta apreciação não seja muito grande, um fluxo constante de dividendos crescentes provavelmente causará um excelente retorno sobre o dinheiro investido. Nos devemos evitar ficar trocando de posições entre ações similares. As taxas e comissões irão matar a rentabilidade. É como diz o ditado: ”venda com relutância” Hoje, com o advento das operações pela Internet, as comissões são baixas o suficiente para não causar a mesma preocupação que tínhamos anteriormente. Mas, mesmo assim, um alto giro de carteira reduzirá o retorno total do acionista.

Investir dentro dos moldes do jogo do perdedor significa tirar vantagem do efeito composição ao longo dos anos, da diversificação, da administração de riscos e manter sobre controle a nossa necessidade de especular. Se você conseguir entender esse conceito simples, que investir é um jogo de perdedor, você se sairá bem como investidor pelo resto de sua vida.

*O discurso “todo mundo é livre para usar filtro solar” foi incorretamente atribuído a Kurt Vonnegut quem, de fato, nunca proferiu esta palestra em qualquer universidade. Este discurso foi baseado em um artigo da Tribuna de Chicago feito por Mary Schmich. O discurso se tornou tão popular que, Baz Luhrmann o transformou em música de sucesso. Estações de rádio tocam essa música toda hora e a atribuem erradamente a uma palestra Kurt no MIT (NT - existe uma versão em português feita pelo Pedro Bial). De onde vieram todos esses erros e falta de informação? De boatos e e-mails da Internet. Felizmente, investidores não sofrem influência dessas besteiras. Ao contrário da mídia, eles certamente verificam suas informações com muito cuidado.

© 2000 by Peter Hupalo, all rights reserved.

Nenhum comentário:

Postar um comentário